Concessão e PPPs são possibilidades para resolver transporte, diz Marina

Na manhã desta segunda-feira (10), a candidata da coligação REDE-PV à Presidência da República, Marina Silva, afirmou que concessões públicas e parcerias público-privadas podem ser formas de investir em transporte eficiente no País. A candidata reiterou, entretanto, que é preciso ter garantia da qualidade do serviço e da manutenção de preço justo para os usuários. Em agenda na Estação Ferroviária da Calçada, em Salvador, Marina declarou ainda que seu governo investirá na diversificação e na integração dos modais urbanos.

“É obrigação do poder público investir para que a população tenha os meios necessários para acessar o transporte de qualidade. Podemos fazer parceiras público-privado, pode-se fazer concessão, desde que assegure o preço justo e a qualidade de serviço para a população”, disse.

Marina considerou inaceitável o tempo que um trabalhador ou estudante passa dentro de um ônibus atualmente. “Hoje, maioria das pessoas passa a maior parte do seu tempo dentro de um transporte, indo para o trabalho ou para o estudo. Nós vamos priorizar diferentes modais urbanos, vamos trabalhar, cada vez mais, para o transporte público de qualidade que atenda, sobretudo, a população pobre que precisa se deslocar para ir trabalhar, em distâncias que muitas vezes tomam todo o seu tempo “, avaliou Marina, que estava acompanhada da candidata da REDE ao governo da Bahia, Célia Sacramento.

Ainda na Estação Ferroviária da Calçada, a candidata à Presidência defendeu a implementação de políticas públicas adequadas para fomentar o transporte ativo, que prioriza o deslocamento a pé e de bicicleta.

O comprometimento de Marina foi oficializado com a assinatura da “Carta Compromisso com a Mobilidade Ativa para o Brasil”, um documento que reúne diretrizes para a promoção desse tipo de mobilidade para os próximos quatros anos. A inciativa é coordenada pela União de Ciclistas do Brasil (UCB), SampaPé e Grupo de Estudos em Transporte da UFPR.