Em Belo Horizonte, Marina assume compromisso com a geração de emprego e renda

Os efeitos da atual política econômica brasileira, que já deixaram mais de 13 milhões de desempregados, foram duramente criticados pela candidata da coligação da REDE-PV à Presidência, Marina Silva, na manhã desta quarta-feira (12). Ao percorrer o caminho da Praça Sete de Setembro até o Mercado Municipal da capital mineira, Marina afirmou que o seu governo tem o compromisso de recuperar a credibilidade e fazer o país crescer novamente.

Segundo a candidata, a retomada da economia será impulsionada com incentivos para setores estratégicos. “Voltando a crescer, nós vamos recuperar os empregos, teremos recursos para investimentos na infraestrutura, na moradia popular, no saneamento básico e turismo, porque é isso que gera emprego rápido para juventude e para as mulheres”, avaliou.

No Mercado Central de Belo Horizonte, Marina reconheceu a importância do comércio local para o desenvolvimento econômico e assegurou que seu governo simplificará o processo de formalização e acesso ao crédito para pequenos empreendedores. “Vamos, cada vez mais, apoiar empreendedores comunitários com crédito, microcrédito, assistência técnica, desburocratizando para que seja mais fácil abrir e fechar um negócio.”

Cercada por apoiadores, a candidata reafirmou que seu plano para aquecer a economia será articulado com várias áreas, como a educação. “Vamos também ter um programa ousado de creches, para que as mulheres possam deixar seus filhos na creche enquanto vão estudar, enquanto vão trabalhar”, detalhou.

Segurança com eficiência
Para combater o crime organizado, Marina explicou que seu governo implementará o Sistema Único de Segurança Pública de forma conjunta com estados e municípios. “Não podemos mais ter a exportação do crime organizado dos grandes centros para o país, porque os criminosos continuam comandando as quadrilhas de dentro dos presídios.” Com a compreensão de que a segurança pública também está ligada à questão social, a candidata afirmou que a área receberá ainda investimentos adequados para promover serviços de inteligência, formação continuada e remuneração justa para os policiais.