MARINA DEFENDE MAIOR PARTICIPAÇÃO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA NA ECONOMIA INTERNACIONAL

Em agenda nesta sexta-feira (31) na Federação da Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), a candidata da coligação REDE-PV, Marina Silva, defendeu maior participação da indústria brasileira na economia internacional. Para Marina, essa integração é necessária para fortalecer a capacidade nacional de exportação, tanto das indústrias, como dos serviços e commodities.

“A indústria brasileira já representou mais de 20% do PIB e hoje está reduzida a algo em torno de 9%. As transformações que estão acontecendo no mundo exigem que a gente pense num novo ciclo de prosperidade. Nossa prioridade é investir para que as tecnologias nos possibilitem aumentar a produção por ganho de produtividade na agricultura, que a gente possa ter uma indústria que esteja integrada às cadeias produtivas globais por ser mais competitiva, e que a gente possa investir mais no uso da nossa biotecnologia e no turismo sustentável”, ponderou.

Para impulsionar a inserção no mercado estrangeiro, Marina afirmou que o Brasil precisa recuperar a credibilidade internacional o quanto antes e resgatar os investimentos internos. A candidata anunciou que seu governo vai simplificar a legislação tributária, desburocratizar o processo de abertura e fechamento de empresas e garantir suporte para crédito e apoio técnico.

“A indústria brasileira tem um papel importante na nossa economia. O Brasil, diferentemente de outros países, pode aumentar a exportabilidade de seus produtos”, informou.

Educação

Na avaliação de Marina, o investimento em educação, pesquisa e tecnologias será fundamental para garantir o desempenho do Brasil nesse novo modelo. “Os dados recentes sobre educação brasileira dão conta que as nossas crianças saem da escola fundamental e chegam ao ensino médio sem saber ler, interpretar um texto, sem conseguir resolver operações simples de matemática. É fundamental priorizar a educação. Sem isso, não se chegará a ligar nenhum”, ressaltou.

Segurança pública no RJ

Também no encontro, a candidata defendeu a implementação de um plano nacional de segurança pública para combater a violência e o tráfico de drogas e armas. “Não se pode ter uma atitude negligente com quadrilhas que, dentro dos presídios, estão comandando o crime organizado.”

Julgamento de candidatura no TSE

Ao ser questionada sobre o julgamento da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que foi incluindo na pauta do Tribunal Superior Eleitoral desta sexta-feira, Marina cobrou celeridade da Justiça. “Vivemos uma situação muito complicada, em que o eleitor ainda não tem claramente qual é a definição do processo eleitoral e a Justiça precisa dar uma resposta para isso. A Lei da Ficha Limpa diz que ninguém pode ser candidato se não estiver de acordo com esses pré-requisitos. É importante que essa decisão seja tomada o quanto antes para que a gente não crie mais confusão na cabeça do eleitor que já está, com justa razão, bastante indignado e desacreditando de muito partidos e muitas lideranças políticas”, afirmou.