O combate à corrupção é uma prioridade, afirma Marina

Hoje me reuni com representantes da Transparência Internacional, onde recebi o documento Novas Medidas contra a Corrupção.

Apoio a iniciativa Unidos contra a Corrupção e defendo que as medidas ali contidas sejam discutidas amplamente no parlamento e na sociedade. As propostas trazem para a pauta estratégica do país uma discussão séria de como aprimorar os mecanismos de enfrentamento à corrupção e à impunidade.

Vamos avaliar as novas medidas para dialogar com as propostas do nosso Programa de Governo. O combate à corrupção é um compromisso e uma prioridade.

Os maiores avanços obtidos no campo da gestão pública foram contribuições da sociedade, como a proposta do SUS, as políticas de inclusão social, a agenda perdida na economia. As contribuições do Unidos contra a Corrupção é outro importante exemplo.

Mas há uma forte reação de muitos políticos para prejudicar os avanços da Operação Lava-Jato, fazendo retroceder os esforços do Ministério Público, da Polícia Federal e da Justiça.

Os brasileiros podem impedir que isso aconteça, fazendo a Operação Lava-Voto, demitindo os políticos corruptos e admitindo parlamentares comprometidos com o aperfeiçoamento da base legal e da estrutura dos órgãos de controle para tornar mais efetiva e com independência a investigação e a punição aos crimes de corrupção.