Marina invadiu fazendas no Acre?

É enganosa a legenda de uma imagem que afirma que a candidata à Presidência da República pela Rede, Marina Silva, teria invadido uma fazenda no Acre em 1986 de maneira semelhante à adotada pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Na verdade, a foto que circula no WhatsApp mostra um “empate”, manifestação feita por seringueiros para impedir o desmatamento na Fazenda Bordon, em Xapuri.

Conteúdo retirado do site e-Farsas:

e-Farsas: “Uma foto circula mostrando a senadora Marina Silva, liderando um grupo de pessoas em meio a uma mata, e o texto que acompanha a imagem afirma que a jovem Marina invadia fazendas juntamente com o MST e que essa fotografia foi tirada durante uma invasão de uma fazenda no Acre, em 1986”.

A foto circula há anos pela web e volta a ficar em evidência com a proximidade das eleições presidenciais no Brasil. Diferente do que algumas publicações sugerem, a foto não é algo que “vazou na net”. Uma busca no verbete dedicado à Marina Silva no Wikipédia e podemos ver que a imagem está lá, disponível desde fevereiro de 2010.

A foto, na verdade, se refere a um empate e não a uma invasão de terras. Para quem não conhece o termo, um empate é uma manifestação de ativismo político em prol da preservação da floresta amazônica pelos seringueiros.

Nesse tipo de manifestação, pessoas se unem com as mãos dadas em torno da área a ser devastada, formando uma enorme corrente com o objetivo de tentar impedir o desmatamento da área.

Outra tática dos manifestantes é a de cercar os trabalhadores encarregados do desmatamento até que seu líder assine algum documento garantindo que o trabalho será suspenso.

Note que, curiosamente, no verbete do Wikipédia a respeito de Empates, a foto da jovem Marina Silva é usada como exemplo.